Vantagens para governos

O Taler presta responsabilidade para garantir que os negócios operem legalmente, ao mesmo tempo em que respeitam as liberdades civis dos cidadãos. Taler é um sistema de pagamento baseado em padrões abertos e software livre. Taler precisa dos governos, pois eles estabelecem uma estrutura financeira e agem como reguladores confiáveis. O Taler contribui para a soberania digital na infraestrutura financeira crítica.

Tributável

O Taler foi construído com o objetivo de combater a corrupção e apoiar a tributação. Com o Taler, o destinatário de qualquer forma de pagamento é facilmente identificado pelo governo, e o comerciante pode ser obrigado a fornecer o contrato que foi aceito pelo cliente. Os governos podem usar esses dados para tributar empresas e indivíduos com base em seus rendimentos, tornando a evasão fiscal e os mercados negros menos viáveis.

Assim, apesar de oferecer anonimato aos cidadãos que gastam dinheiro digital para comprar bens e serviços, o Taler também garante que o estado possa observar os fundos recebidos. Isso pode ser usado para garantir que as empresas se envolvam apenas em atividades legais e não soneguem tributos sobre a renda, tributos sobre vendas ou tributos sobre o valor agregado. No entanto, essa capacidade de observação não se estende ao domínio pessoal imediato. Em particular, o monitoramento não abrange o acesso compartilhado a fundos com amigos e familiares confiáveis, ou sincronização de carteiras em vários dispositivos.

Seguro

Os pagamentos do Taler são protegidos criptograficamente. Assim, clientes, comerciantes e o provedor de serviços de pagamento do Taler (o câmbio) podem demonstrar matematicamente seu comportamento legal no tribunal em caso de disputa. Os danos financeiros são estritamente limitados, melhorando a segurança econômica para indivíduos, comerciantes, câmbio e o estado.

Como fornecedor de serviços de pagamento, o câmbio do Taler está sujeita à regulamentação financeira. A regulamentação financeira e as auditorias regulares são fundamentais para estabelecer a confiança. Em particular, o design do Taler exige a existência de um auditor independente que verifique as provas criptográficas que se acumulam no câmbio para garantir que a conta de depósito seja gerenciada com honestidade. Isso garante que o câmbio não ameace a economia devido à fraude.

Livre

O Taler é um software livre que implementa um padrão de protocolo aberto. Assim, Taler permitirá a concorrência e evitará a monopolização dos sistemas de pagamento que hoje ameaçam a estabilidade política e financeira global.

Eficiente

O Taler possui um design eficiente. Ao contrário dos sistemas de pagamento baseados em Blockchain, como o Bitcoin, o Taler não ameaçará a disponibilidade de redes elétricas nacionais nem contribuirá (significativamente) para a poluição ambiental.

Taler e regulação

Antilavagem de dinheiro (AML)
Com o Taler, a renda é visível e pode ser vinculada ao contrato assinado por ambas as partes.
Conheça seu cliente (KYC)
No Taler, o pagador e o beneficiário são conhecidos pelas suas contas bancárias ao sacar ou depositar moedas, respectivamente
Regulação de Proteção de Dados Pessoais (GDPR)
O Taler protege criptograficamente a privacidade do cidadão e, por design, implementa a minimização de dados e a privacidade por padrão.
Diretiva de Serviços de Pagamento (PSD2)
O Taler fornece um padrão aberto com APIs públicas que contribuem para um setor bancário competitivo.

Taler fornece privacidade e responsabilidade

O Taler presume que os governos podem observar transferências bancárias tradicionais que entram e saem do sistema de pagamento do Taler. Começando com as transferências eletrônicas, os governos podem obter:

  • A quantidade total de moeda digital sacada por um cliente. O governo pode impor limites quanto ao dinheiro digital que um cliente pode sacar dentro de um determinado período de tempo.
  • A receita recebida por qualquer comerciante através do sistema do Taler.
  • Os detalhes exatos do contrato subjacente que foi assinado entre cliente e comerciante. No entanto, esta informação normalmente não inclui a identidade do cliente.
  • As quantidades de moedas digitais legitimamente sacadas pelos clientes do câmbio, o valor das moedas digitais não resgatadas nas carteiras do cliente, o valor e os detalhes da transferência correspondentes das operações de depósito realizadas pelos comerciantes com o câmbio e a renda do câmbio de taxas de transação.